quinta-feira, 21 de junho de 2007

Yule e mais...

>Yule

Hoje é o sabbath Yule.

Eu adoro Yule. Me lembro de quando eu e o Icaro íamos na Roda da Abrawicca celebrar com os demais irmãos de religião esse sabath. Eram sempre noite geladas e muito divertidas. Se não estiver enganada, foi numa dessas (ou em Imbolc, realmente não lembro) que eu vi a Deusa e o Deus andando pelas pessoas da Roda. Foi uma das coisas mais linda que eu já vi em minha vida. Não existem palavra em mim e nem no mundo para descrever o que eu vi e nem o que senti. Fui afortunada naquela noite, podendo visulmbrar a presença deles entre nós e abençoando aquele ritual.

Domingo vai ter o sabbath Yule. Mas eu sempre penso em ir, e tenho medo que seja como das última vezes que eu fui, que havia uma briga mediocre pelo controle do ritual e dispersava toda a energia canalizada. Somente por isso não vou mais. Ainda penso em Tyrfang, ele deve estar bem, assim espero.

>>Amor

E hoje eu estava falando de amor com a Malu. Eu gosto de conversar com ela. Os olhos dela ficam atentos a tudo o que você fala, é intrigante. Falei de mim, de como eu via homens apaixonados pelas esposas/namoradas no consultório e ela até riu, perguntando se eu somente via homens apaixonados. Eu respondi que sim. Eu noto os homens com olhares brilhantes, nuances de sorrisos orgulhosos das amadas. Acho bonito.
Malu disse que eu precisava de um homem assim. Na verdade, meu namorado é assim. As vezes eu noto isso nele. Mas acho mais fácil observar nos outros. E ela me contou de sua vida amorosa, contou naquelas, deu um parecer. Eu tenho paixão por ouvir as história de amor dos outros, já perguntie pra várias pessoas como elas conheceram os companheiros, e elas ficam felizes em reviver aqueles momentos comigo, dando detalhes e rindo. Ao menos eu nunca encontrei ninguém que não gostasse de falar sobre isso.


>>>A Psicóloga

Eu vou falar: aquela mulher que se diz psicóloga e quer "nos ajudar" a escolher a vocação certa é pessima. Não tem outra palavra. E ela não ajuda em nada em melhorar a imagem que eu tenho dela a cada encontro. Ela usa o fato de ter feito a faculdade de psicologia como forma de impor sua maldita opinião nos alunos.

Já não bastava que na semana passada ela tenha falado que o nome da faculdade não serve pra nada no seu curriculum, que na verdade quem faz a faculdade é o aluno. Só podia se tratar da Educafro mesmo, ela só podia trabalhar pra eles mesmo. Ainda eu e a Luana tentamos ir contra a opinião dela e ela voltou a reafirmar como dona da verdade que estava certa. Ah tá bom! Vai nessa mesmo... vai acreditando que tá bom!

Daí ontem eu tenho que escutar mais um absurdo. Ela pediu pra falarmos de nós num papel, com tópicos especificos e cada um ia ler o do colega. Até ai tudo bem, parecia legal. Eu estava fora porque não tinha ido na outra aula dela e não tinha feito essa redação. Daí quando leram a do Vitor, ela "encanou" (como se diz) com ele.

Ele havia escrito na ficha que era teimoso e desconfiado. E ela simplesmente disse que ele era uma criança - por ter 17 anos, e que uma pessoa de 17 anos teria vivido pra ser assim? Nossa, queira morrer. Eu ergui os olhos do meu papel e encarei ela, seriamente, querendo acreditar no que estava escutando.

"Me desculpe, mas você é uma criança. Como pode pensar que é desconfiado?"
"Mas eu escrevi a verdade: eu sou desconfiado"
"Vê? Você quer ajudar e a pessoa insiste em falar o que não é verdade".

Nossa, fala sério. Puro achismo. Se ela tivesse conversado com ele, escutado o que ele tinha a falar, conhecesse ele, poderia supor isso. Mas vir do nada, falar que o cara é criança e que ele não sabe nada sobre ele é muito foda. Juro que pensei em falar alguma coisa, é um absurdo ouvir esse tipo de coisa, mas fiquei quieta. Isso já me bastou pra eu ficasse brava.

E ela ainda quer abrir consultório... aff coitado de quem for se tratar. Sabe, ela pode até ter razão no que ela está falando, mas eu simplesmente considero errado o modo como ela trata tudo e a forma que ela impoe. Estou de saco cheio de pessoas que não sabem conversar e quando eu encontro uma pelo caminho, quero me livrar da presença dela o quanto antes.

Mas no entanto, eu penso que seria interessante assistir todas as aulas dela afim de ver como vai acabar tudo.

Eu escrevi o meu papel, escrevi mais do que qualquer um ali, fiz comentários. Me arrependi. Não devia participar desse tipo e coisa, mas então minha maldade falou mais alto - por que não? por que não escutar o que ela vai falar de você? Estou me coçando na verdade... mulher idiota!

>>>>Elspeth

Sonhei que era Elspeth Dwaine. Que as Musas me ajudem a escrever a história dela do mesmo jeito que eu a senti. Será maravilhoso se conseguir.

2 comentários:

Fabiano Alves disse...

Err...solicito glossário de termos Wiccanos pra não boiar nas postagens! x_x

Carola Richardson disse...

Perdoe-me Fabi. Vou colocar sim ^^